Exibido durante Festival Varilux de Cinema Francês, filme estreia em circuito dia 2 de agosto

Em “TROCA DE RAINHAS”, dirigido por Marc Dugain, o conflito entre a França e a Espanha, em 1721, e o modo como os regentes decidiram a paz estão em pauta. Com estreia marcada para 2 de agosto, o filme marca a primeira adaptação do diretor, baseada no livro “L’Échange des Princesses”, da escritora francesa Chantal Thomas. O filme foi indicado ao Prêmio César e participou do Festival Varilux de Cinema Francês.

Luís XV (Igor van Dessel), de 11 anos, logo se tornará rei e, uma troca de princesas permitiria consolidar a paz com a Espanha após anos de guerra, que deixaram os reinos enfraquecidos. Então, Felipe de Orléans (Lambert Wilson) casa a filha, Mlle de Montpensier (Anamaria Vartolomei), de 12 anos, com o herdeiro do trono da Espanha, e Luís XV se casa com a Infanta da Espanha, Anna Maria Victoria, de 4 anos (Juliane Lepoureau). Tudo está sendo organizado luxuosamente, mas as crianças, por sua vez, reagem de forma inesperada.

O drama histórico também mostra a vida no século XVIII, como o luxo ao redor de castelos e carruagens. Além disso, na época, a vida e a morte seguiam juntas por intermédio da crença religiosa. A probabilidade de viver até os 70 anos, assim como hoje, não existia, já que a perspectiva era chegar até os 35. “Eu queria mostrar esse medo sobre a percepção do que é meramente mortal partindo de um momento crucial e decisivo na infância”, disse Dugain.

Segundo ele, seu interesse pela história partiu de um fator pessoal: seu avô foi desfigurado pela Primeira Guerra Mundial. Desse modo, começou a refletir sobre o quanto a história pode afetar a vida individual de algumas pessoas. Assim, “TROCA DE RAINHAS” conta a história de jogos de poderes que levaram o mundo a um desastre coletivo.