Longa protagonizado por Paulo Miklos retrata uma sociedade polarizada e violenta

Depois da estreia internacional na Mostra Competitiva do Cairo International Film Festival, será a vez da Estônia conhecer o novo filme do diretor Iberê Camargo. O HOMEM CORDIAL foi selecionado para a mostra Current Waves do 23o Tallinn Black Nights Film Festival. O PÖFF é o único festival de cinema categoria A no norte da Europa, compartilhando esse status com os principais festivais do mundo, incluindo Berlim, Cannes, Veneza, Karlovy Vary, Varsóvia e San Sebastian. Com público estimado de mais de 80 mil pessoas, o PÖFF é o maior evento cultural anual da Estônia. 

O HOMEM CORDIAL é um thriller psicológico, no qual o afloramento de uma onda de ódio e intolerância é visto a partir do ponto de vista de Aurélio (Miklos), um homem de 60 anos, branco, rico e heterossexual, que de sua posição social privilegiada se vê perdido e impotente, sem saber como reagir a essa realidade que se apresenta.  

A ideia inicial para o roteiro surgiu em 2015, quando o diretor começou a se incomodar com a crescente onda de polarização no país. A partir de pesquisas sobre o tema e se deparou com o vídeo de um garoto de dez anos sendo linchado numa manifestação e a reação de ódio das pessoas o chocou. “Foi daí que surgiu a premissa inicial do argumento de O HOMEM CORDIAL”, recorda Carvalho.  Apesar de terem se passado quatro anos, o tema do longa é mais atual do que nunca: “estamos vivendo um momento tão estranho e revelador de nossa sociedade que é impossível qualquer ficção ter a pretensão de acompanhar a realidade”, completa.   

A cidade de São Paulo, onde O HOMEM CORDIAL foi rodado, também é uma personagem do filme. A opção do diretor pela capital foi devido ao cenário urbano de uma grande metrópole que simboliza o desenvolvimento. Incorporá-la ao longa pelo olhar ‘estrangeiro’ foi um desafio, “mas conseguimos trazer um olhar fresco da cidade”, finaliza.  

O longa tem fotografia de Pablo Baião, vencedor do Kikito de Melhor Fotografia no Festival de Gramado de 2018 por Simonal, e Maíra Carvalho, ganhadora do Kikito de Melhor Direção de Arte em 2015 por O Último Cine Drive-in, assina a arte.   

Com montagem de Nina Galanternick, som de Daniel Turini, Fernando Henna e Henrique Chiurciu, som direto de Marcos Manna, figurino de Eduardo Barón e Vinicius Couto e maquiagem por Vanessa Barone, O HOMEM CORDIAL é produzido por Maíra Carvalho, Rodrigo Sarti Werthein, Rune Tavares e Iberê Carvalho, numa coprodução Quartinho Direções Artísticas, Acere, Momento Filmes e Pavirada Filmes. A distribuição nacional é da O2 Play e a representação internacional da Media Luna Films.   

Deixe uma resposta